24 de março de 2012

Paranoid Android

Gosto de passear sozinha e, ainda que a um ritmo alucinante - não sei andar devagar -, observar com calma aquilo que me rodeia. É por isso que gosto tanto de viajar, de não estar agarrada aos mesmos sítios, às mesmas caras, aos mesmos hábitos. Gosto de suspirar e pensar que podia viver ali e que, embora adore aquele momento de solidão, que não dói, gostava que alguém estivesse ali comigo, naquele exacto momento, a ver o mesmo que eu. Tudo parece congelar à nossa volta quando, na verdade, a cidade segue com a normalidade de sempre.
Gosto de espaços cheios de pessoas, das milhares de vidas que se cruzam durante segundos, algumas vezes minutos, e gosto de imaginar a vida daquelas pessoas e de pensar que me estão a ler os pensamentos. Dou por mim, muitas vezes, a morder o lábio inferior para não me rir, porque quem se ri sozinho não pode ser bom da cabeça, não é? O meu problema é que trincar o lábio, geralmente, tem o efeito contrário e ainda me faz ter mais vontade de rir, mas que se lixe, acabo sempre por pensar. É por isso que eu gosto de espaços cheios de pessoas, porque ninguém há-de reparar que me estou a rir e posso continuar a apreciar tranquilamente o que me rodeia. Apesar disso, já prometi imensas vezes nunca mais morder/trincar os lábios na presença de outros, porque isso, por vezes, desencadeia outro tipo de interpretações nas mentes mais pecaminosas, que eu bem vejo os vossos olhos. Mas, aí, os meus transformam-se e com eles tento dizer, hei, não é nada disso, mas acho que ninguém me entende.

2 comentários:

faa disse...

Bom post. :)
Tal como tu, também gosto de andar no meio de muita gente, de as observar e imaginar o que pensam e a vida delas.

Só não tenho o habito de morder o lábio xD

Xana disse...

faa: obrigada :) Pois, cada vez mais me convenço que sou parva :P